Notícias Ultimas

Ingressos Disney – Como montar o melhor roteiro com as novas regras

12 de novembro de 2018

autor:

Ingressos Disney – Como montar o melhor roteiro com as novas regras

Se você está planejando uma viagem para Orlando, provavelmente já ouviu os rumores sobre as mudanças na forma de comprar os ingressos dos parques da Disney. Em meados de outubro, a empresa remodelou o site de vendas e disponibilizou uma nova mecânica de aquisição, que explicaremos agora. Basicamente, foram três alterações principais em relação ao formato antigo:

1. É necessário marcar a data de visita ao primeiro parque. Antes os ingressos eram validados a partir do primeiro dia de uso;

2. A validade do pacote está atrelada à quantidade de tickets que você comprou (veja tabela). No formato anterior você tinha quatorze dias para usar. Há ainda a versão hopper, para alternar entre os parques no mesmo dia, e a hopper plus, que possibilita a entrada nos parques aquáticos Blizzard Beach e Typhoon Lagoon. Por fim, os bilhetes do tipo Premium não têm as novas restrições e se assemelham bastante ao formato antigo, mas têm um custo bem mais salgado!

3. Os preços agora variam de acordo com a demanda, ou seja, ao invés do valor único de antes, as tarifas aumentam em períodos de muita procura e são menores em períodos de baixa estação. Não conseguimos identificar uma regra clara para isso, mas a mídia especializada fala em até oito variações de preços.

Você pode estar se perguntando como isso afeta a sua viagem, mas nós do yzzer.com já pensamos em algumas dicas importantes para tornar o seu roteiro mais inteligente. E barato, é claro! Se a sua viagem for curta, até sete dias mais ou menos, a questão da validade não afetará muito. Se as suas férias forem mais longas, algo por volta dos quinze dias, vale a pena investir um tempo para bolar um roteiro mais eficiente, visto que você não conseguirá ir aos parques da Disney no começo e no final da viagem.

Como os preços agora variam, algo baseado na chamada “lei da oferta e da demanda”, é importante verificar se no período desejado para sua viagem existem bilhetes baratos, evitando, assim, surpresas desagradáveis. A lógica por trás dessa mudança é que a Disney conseguirá prever com bastante antecedência o fluxo de visitantes e direcionar boa parte do público para os dias de menor movimento, dando o estímulo do ingresso mais em conta. Isso evita de eles terem dias completamente superlotados e outros com movimento fraco.

A partir da tabela, você pode conferir o tempo que tem para usar seus ingressos. Uma informação importante (e que pode evitar problemas com imprevistos) é que você não precisa começar a usar seus bilhetes exatamente no dia que marcou, mas observe que vai contar do seu prazo. Se você quiser adicionar mais dias de diversão, conseguirá fazer isso nos Guest Relations, instalados nos parques e no Disney Springs. Já se você precisar adiar a sua experiência, pode fazer isso através do site ou aplicativo do My Disney Experience, atentando para o fato de que se a nova data estiver mais cara, será preciso pagar a diferença (se for uma data mais barata, contudo, não haverá devolução).

Considere esta dica (sobretudo se estiver indo com crianças): Já pensou em se hospedar em um hotel da Disney. Existem vários e para todo tipo de bolso. Pode não ser tão em conta como ficar num hotel comum ou alugar uma casa, mas você terá benefícios que podem ajudar a compensar o custo extra. Você pode, por exemplo, ficar hospedado quatro dias e economizar em alguns pontos:

1. O complexo possui transporte gratuito para todas as atrações, o que pode significar uma boa economia na locação de um carro e no estacionamento dos parques. As locadoras de veículos normalmente cobram um valor especial pelo pacote semanal, ficando bem mais em conta do que pagar a diária avulsa. Você pode combinar as estadias em um hotel Disney (sem alugar carro) para compor os dias da sua viagem com o melhor pacote de locação do automóvel;

2. Hóspedes do complexo podem marcar os Fast Pass gratuitos com 60 dias de antecedência, enquanto que o visitante comum só consegue fazer isso com 30 dias. O Fast Pass é um tipo de fura-fila, onde você pode escolher três entre as principais atrações para marcar o horário que deseja utilizar. Além disso, existem horários diferenciados para os hóspedes, que podem entrar mais cedo no parque, quando estão bem menos lotados;

3. Os hóspedes ganham Magic Bands, as pulseiras mágicas que substituem os cartões de acesso aos parques e às atrações com Fast Pass. Sim, não se engane, normalmente elas são cobradas à parte;

4. Cada hotel tem uma temática própria, fazendo com que sua família, sobretudo os pequenos, se sintam dentro desse mundo mágico 24 horas por dia. Além disso, é possível programar com antecedência as reservas nos restaurantes, inclusive com personagens, o que deixará esses dias marcados na memória.

Sem precisar dirigir, fazer grandes deslocamentos nem compartilhar o tempo com outros programas, como as famosas compras nos outlets, ir aos parques em dias sequenciais pode não ser tão puxado. Além do mais, com todas essas vantagens que enumeramos acima, adquirindo os ingressos com a opção “hopper”, você consegue fazer dois parques no mesmo dia ou, ainda, fazer as suas atrações preferidas e voltar para aproveitar a estrutura do hotel. Depois de um bom descanso, estará pronto para voltar à diversão para acompanhar o show do dia. Se os espetáculos noturnos não te atraírem tanto, outra boa dica é ir ao parque num dia sem essas atrações, pois tendem a ser bem menos disputados.

Algumas pessoas podem alegar que não é uma boa ideia separar a viagem, colocando todos os parques no começo (ou no final, tanto faz). Mas vale lembrar que estes são apenas os parques do complexo Disney (Magic Kingdom, Animal Kingdom, Epcot e Hollywood Studios, além dos aquáticos Blizzard Beach e Typhoon Lagoon) e que você tem vários outros para compor o seu roteiro, como Universal Studios, Island of Adventure, Sea World, Busch Gardens, além do infantil Legoland e do aquático Volcano Bay. Além disso, Orlando e as cidades vizinhas têm uma infinidade de atrações, inclusive bem mais em conta dos que ir aos parques, como a roda gigante Orlando 360, os jogos da NBA, passeios pelas charmosas Winter Park e St. Petersburg, só para citar alguns.  Enfim, se você deseja fazer uma viagem inesquecível a Orlando, mas ao mesmo tempo econômica, vai precisar de muita pesquisa, planejamento e de um roteiro muito bem feito.

Comente aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *